segunda-feira, 30 de maio de 2011

Qual é o melhor tipo de parto?


CESARIANA


       
PARTO VAGINAL











Outro dia uma paciente que me contou sobre uma entrevista no programa Mais Você e eu tive que conferir o vídeo no site da globo.com. O assunto era Parto Natural Domiciliar, e fiquei muito preocupada com o que vi.




Vou direto ao assunto. Na tal entrevista com a filha da Ana Maria Braga e mais duas parteiras contando como foi lindo seu parto domiciliar fiquei chocada quando vi a “PhD em obstetrícia” Mariana falar que as pacientes não podem deixar seus médicos interferirem na via de parto. Quase surtei quando vi a outra moça dizendo que a gestação não é doença (concordo), logo ela não deve ser tratada por uma cirurgia, e que é um mito dizer que parto dói e que a cesariana pode salvar a vida do bebê. Como assim??????? E mais! Disse que a mulher submetida à cesariana não é capaz de dar amor ao seu bebê devido às dores que sente durante meses no pós-operatório. Sinceramente, eu achei muita falta de responsabilidade o depoimento das entrevistadas. A Mariana fica de fora disso porque é leiga e não posso exigir nenhum conhecimento obstétrico dela, mas as parteiras, o que elas pretendem?

Eu não sou contra o Parto Normal. Sou contra esse exagero de inventar moda com a vida dos outros. Pra mim, o parto normal é o parto vaginal, que pode receber analgesia, que pode receber a episiotomia quando necessária, que ocorre em ambiente hospitalar com a presença de médicos e com suporte para resolver possíveis intercorrências. Já o parto natural é aquele sem nenhuma intervenção. É aquele que o bebê nasce sozinho em casa, na rua, no taxi, no mercado. Esse parto qualquer um “faz”. Mas se esse bebe demorasse a nascer? e se não nascesse? Existem diversas intercorrências no parto e situações que impedem o nascimento espontâneo do bebê ou até colocam a vida em risco, da mãe e do filho. Em minha opinião, nascer fora da maternidade, só se “acontecer” sem que isso seja programado.

Esses bebes não nascem sozinhos

Então, continuando, eu sou totalmente contra o parto domiciliar. Quem defende essa prática alega que a maioria dos partos normais tem um desfecho satisfatório. Engraçado, por que não todos? E o que acontece com os partos sem sucesso? O problema está aí. É uma minoria que não dá certo, mas esse “não dá certo” dá muito errado! As conseqüências de um parto mal sucedido são seqüelas irreversíveis ou fatais para o feto ou a gestante. Minutos sem intervenção médica podem decidir o destino de ambos. Como adivinhar qual parto será sem intercorrências? Mesmo dentro de uma maternidade há esse risco, imagine em casa.

Eu acho um retrocesso. Antigamente os partos aconteciam em casa, sim, mas e a quantidade de mulheres que morriam de parto ou de bebes que “não vingaram”? Era natural dizer que fulana morreu no parto ou o filho de beltrana morreu no parto. As pessoas se conformavam. Acontecia. Paciência. Contam com a maior naturalidade: “Minha bisavó teve 18 filhos e só vingaram 10”. Mas em 2011, em lugares com recursos e facilidades, acho inadmissível morrer de parto por falta de assistência médico-hospitalar. Claro que ainda há e continuará havendo mortalidade materno e fetal, mas esse número é decrescente e não pode acontecer por negligência. Se de 100 partos, 1 dá errado, quem quer ser esse 1?

Ontem comemoramos o dia da redução da mortalidade materna e eu desejo que esse número seja cada vez menor.

Para você ficar sabendo:

A gestante em trabalho de parto pode receber analgesia, realizada por médico anestesista capacitado para esse ato. Não é todo anestesista que sabe fazer analgesia de parto. Em mãos competentes a analgesia auxilia no parto, tirando a dor das contrações sem interferir na sua mecânica. Além disso, o anestésico relaxa mais o colo reduzindo o tempo de trabalho de parto, sem falar que, sem dor, a futura mamãe consegue fazer a força com mais qualidade, contribuindo com o nascimento do bebê. Porém, se o anestesista não tiver prática e conhecimento no assunto, a analgesia do parto pode atrapalhar tudo e até provocar sofrimento fetal.
 
A episiotomia é um pequeno corte numa determinada região do períneo, útil para proteger a musculatura desta região e ajudar a saída do feto em seu nascimento. Na maioria das vezes esse corte não incomoda e a cicatrização é excelente. O parto sem episiotomia pode provocar laceração do períneo. Por mais que existam manobras de proteção do períneo para evitar tais lacerações, elas podem acontecer principalmente nas primíparas (pacientes que estão dando à luz pela primeira vez) e nos fetos grandes. Geralmente aquelas gestantes com partos normais anteriores dispensam a episiotomia.

Dentro dessas modalidades de parto normal, temos o parto na banheira, que deve ser desestimulado pelo risco de contaminação (a água se mistura com as eliminações fisiológicas da mãe). Eu fiz residência em uma maternidade que foi a primeira a ter banheira para o parto e foi a primeira a proibir essa prática. Hoje em dia a banheira é útil durante o trabalho de parto, para relaxar a gestante, mas na hora do nascimento ela vai para lugar adequado.

Algumas vezes é necessário o uso do fórceps, uma prática muito bem recebida na Europa, mas aqui, há muita resistência por parte das pacientes. O fórceps auxilia o obstetra na descida e extração do feto no parto difícil.

O parto sem a presença do médico obstetra, mas acompanhado e realizado por parteiras ou “doulas” já é proibido em algumas maternidades.

O mesmo tipo de parto não é o ideal para todas as gestantes.

O parto normal também apresenta riscos e complicações.

A mulher será a mesma mãe e dará o mesmo amor independente do tipo de parto.

A mulher deve ter o direito de escolher seu parto e o médico obstetra é o profissional capaz de intervir nessa escolha quando necessário.

Durante anos lutamos pela presença do pediatra em sala de parto, uma conquista sem discussão. 

É errado escolher a cesariana só para aproveitar e ligar as trompas. 

Onde não há controle de natalidade (como na rede pública onde é mais comum a mulher ter muitos filhos), realizar cesarianas recorrentes é um risco. Não há limite de número de parto normal. 

A cesariana pode se tornar um problema financeiro para o governo pois exige mais medicamentos, equipamentos e equipe de profissionais.

A mãe pode amamentar seu filho assim que ele nascer, tanto no parto normal, quanto na cesariana.

O período de internação é o mesmo no pós-parto normal e cesariana.

O parto normal oferece recuperação melhor que a cesariana, o que não quer dizer que a recuperação da cesariana seja horrível.

A mulher pode alimentar-se em cerca de 6 horas após a cesariana e levantar-se em 10-12horas. 

A mesma mulher que diz que o parto tem que ser natural sem cortes deseja fazer várias cirurgias plásticas ao longo da vida. Hã?

Parto Humanizado deveria ser aquele em que se oferece o máximo de conforto e segurança possíveis para a mãe e seu bebê. 

Além do parto humanizado (expressão que eu odeio – e os demais partos? São desumanos?), inventaram a cesariana humanizada: o pai do bebê está presente na sala, a mãe acordada para participar do nascimento do bebê que, ao nascer, é levado imediatamente ao encontro dos pais e, já nesse momento, é estimulada a sucção do bebê ao seio da mãe. Então o pediatra realiza o exame clínico do bebê e, confirmado o bom estado de saúde dele, é entregue de volta aos pais (eu já fazia cesárea humanizada e não sabia!), porém na hora do nascimento apagam-se as luzes da sala de cirurgia. Gente, pra que???? Logo que nasce o bebê abre logo aquele olhão lindo e recebe um monte de flash que não faz mal nenhum. A luz da sala vai incomodar o bebê? Me poupem! Agora, música na sala de cirurgia eu sou a favor, é legal, desde que seja um rockzinho, uma MPB, música clássica, jazz... 

Se perguntarem qual é o melhor tipo de parto,
devemos ser adeptos do parto com responsabilidade. 
Os bebes agradecem.

23 comentários:

Anônimo disse...

Oi Fernanda,
Comentario super atrasado mas vai la... Eu moro na Nova Zelandia e vou ter bebe daqui ha 2 semanas, cesaria, eu achei seu post super legal por explicar as opcoes da gestante e nao condenar nem a cesaria nem o parto normal, e por mostrar os riscos de outras opcoes. Aqui e assim, a mulher tem toda a gravidez coberta pelo governo mas nao tem direito a obstetra, e com parteira, a parteira faz um curso de 3 anos e esta "apta" a fazer partos... Eu morro de medo de parteira entao resolvi contratar uma obstetra, o governo no meu caso nao ajuda em nada e eu tenho que arcar com todos os custos, excluindo o hospital que e publico. Minha obstetra trabalha com outros 4 profissionais, entao eu escolhi a profissional que mais gostei mas tenho que passar por consultas com todos os outros pois caso minha obstetra nao esteja disponivel se o bebe resolver nascer antes tenho que conhecer o obstetra de plantao. O que acontece e que como resolvi fazer uma cesaria eletiva tem uma obstetra que mal fala comigo pois acha que deveria fazer parto normal, uma das enfermeiras da clinica de obstetricia ficou meia hora tentando me convencer a mudar de ideia. Eu simplesmente abandonei as aulas ante natais, eram 12 aulas oferecidas pelo governo, pois a instrutora so falava sobre water births, partos em casa e parto normal. Eu acho um absurdo a gestante nao poder escolher o tipo de parto que quer ter. O pior e ainda ouvir de outras mulheres que fazendo uma cesaria e sinal que nao serei boa mae, ora terei uma vida inteira com meu filho e nao e o tipo de parto que vai mudar minha relacao e amor com ele. Ou que as mulheres que fazem cesarias sao umas frescas que se elas aguentaram ficar 20 horas em trabalho de parto todas nos devemos fazer o mesmo. Na minha opniao a mulher deve ter o direito de escolha e ser informada dos riscos e vantagens de cada parto. Obrigada pelo post. Syl

Fernanda Santos disse...

é isso aí, concordo em número, gênero e grau. Pena que recentemente ocorreu um problema aqui no blog e eu, burramente (sem querer) consegui deletar TODOS os mais de 100 comentários que tinha aqui nesse post. você ia ver como as pessoas tem opiniões diferentes. E algumas falaram essas coisas que você disse.. acho que parto normal é ótimo para umas e cesárea, melhor para outras.
Obrigada pelo comentario.

Camis disse...

ola fernanda,
desculpa, mas é muita desinformação reunida nesse post.
antes de disseminar o que vc não sabe, por favor, se informe, veja as recomendações da oms, sa anvisa, leia a biblioteca cochrane, lei michel odent e depois venha me falar de parto humanizado, natural e domiciliar, ok?
fernanda santos, um nome a ser divulgado nos grupos de parto humanizado para que ninguém procure jamais!

Camis disse...

ah, e por favor, pratique a medicina baseada em evidências científicas, não em protocolos que foram criados a tempo e que vc nem sabe pq existem, tipo a episio mesmo.
vem cá, fala sério, é melhor um corte que atravessa um músculo ou uma laceraçãozinho que nem precisa de ponto, ou mesmo que precise de ponto, não atravessa o músculo?

Ana krumm disse...

Parei no " gravidez não é doença"' e você acredita que é?

Ana krumm disse...

Parabéns, Camis, pela observação.

Lorraine Furriel disse...

Hum pra vc parto natural é aquele que o bebe nasce na rua,mercado...vai ai um vídeo pra vc ver que parto natural pode acontecer no hospital tb!
http://www.youtube.com/watch?v=HCohuHNvlKw

Alaya disse...

nossa tem TANTA coisa errada no seu post, mas tanta desiformação, que da ate preguica de comentar.. da uma pesquisadinha a mais! ta precisando

pathybh@ms.com disse...

Tenho certeza que vc estudou naquelas faculdades "pagou, passou". Não é possível escrever tanta asneiras num texto só.

Elis disse...

Nos ultimos anos, estudos, revisões e metanalises evidenciaram que não há base científica para manutenção da prática sistemática da episiotomia. Ao contrário, é admitido que sua realização traga aumento das complicações intra e pós-operatórias, sugerindo que sua prática fique restrita a gestantes selecionadas. Destaca-se que mesmo restringindo as indicações, não há consenso sobre quais seriam e sugere-se que novos estudos randomizados sejam feitos para elucidar esses questionamentos. É importante destacar que, como qualquer procedimento cirúrgico, a episiotomia é também responsável por complicações, como extensão da lesão perineal, hemorragia, edema, infecção, hematoma, dispareunia, fístulas retovaginais, mionecrose, intoxicação neonatal com lidocaína, reações de hipersensibilidade ao anestésico, endometriose na cicatriz, necessidade de correção cirúrgica por problemas de cicatrização irregular ou excessiva, dor após o parto e rejeição materna ao neonato devido a dor.

Elis disse...

Ah esqueci de citar a fonte:
prevalênCIa e fatores assoCIados à prátICa da epIsIotoMIa eM MaternIdade esCola do reCIfe, pernaMbuCo, brasIl CynthIa Coelho MedeIros de Carvalho1* , alex sandro rolland souza2 , olíMpIo barbosa Moraes fIlho3 Trabalho realizado no Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (CISAM), Maternidade Monteiro de Moraes da Universidade de Pernambuco (UPE), Recife, PE
Carvalho CCM Et Al.
Desculpa,mas não deu pra ler todo o seu texto, pois ao chegar no paragrafo da episiotomia pude constatar que vc não pratica medicina baseada em evidencia, alias como a maioria dos "dotô"( sem dotorado) que saem da faculdade de medicina achando que por usar jaleco branco são doutores.(até o doutorado o caminho é muito longo ainda!)
Melhor vc estudar mais um pouco e principalmente se pautar em MBE, pois embora haja muita gente tacanha que não estude e pesquise, nem todo o zpublico ou paciente esta disposto a ouvir e ler qq ladainha tipo essa sua e ficar quieto ou ser conivente, diante de tanta informação desinformada como a do seu blog!




Thayná disse...

Ainda bem que a galera já se manifestou.... por que pelo amor de Deus né!!! Não dá pra ficar postando coisas com base em achometros e métodos totalmente ultrapassados!

Maria disse...

Dra.

Você faz a sua parte orientando...

As pessoas "modernas" querem esse atraso de vida, a gente não pode fazer nada,neh.
Mais vale o EGO dos pais do que a segurança do bebe.
Vi um video de um parto no banheiro da casa, no CHAO DO BANHEIRO . É pra morrer de nojo...

Que Nossa Senhora do bom Parto proteja todos eles.

Eu vou é pro Hospital, com medico, enfermeira,equipamento, anestesia, desinfecção, esterilização e o maximo de segurança possivel....(e minha nossa senhora do bom parto tb.. hehe). Tomara que seja normal... mas se for cesarea to feliz também..

beijo e sucesso

Anônimo disse...

Bom fiquei revolta,por confirma o que já se sabe.k pessoas c/Menos condições não tempo direito de escolher como quer seu parto.
O hosp.me cobrou 2.300 s/ me dar direito d ficar em quarto da sus.como havia visto embora uma pesquisa k podia para se reduzir o valor,+1.200 d médico.
Daria o valor k fosse, se tivesse, porém não tenho convênio. Vou ter k fazer uma laqueadura e nem assim posso fazer a cesariana, mesmo tendo passado por problemas psicologicos , a explicação é k o custo é alto (conta outra) recentemente foi mostrado não tv k sair mesmo da 600, e amormal k dizem parto normal.295,00 como podem ser tudo isso só aquele maldito soro quente ? Ser eles enconomizam até anestesia.Tive um parto k o bb nasceu3.950 kg s/ k me desse anestesia não saída e s/ pontos e ainda resmungou comigo : por que ainda geme s a criança já saiu? Em?? Fora outras coisas kg já vivi e já ouvi.infelizmente quem não me condição é tratado assim praça essa semana já vou para maternidade, s/ saber qual pois a maioria está de greve .e o Pior é quando dizem , perg. Ao seu médico, poucos ser cominicam com seus pacientes sus é assim.o k estou hj ; fui perg.algo a ele e já foi grosso e disser ser fosse daquele geito não faria meu pre_natal. Já havia falarem dele infelizmente é o único do posto nunca más voltei.
Já estou acamada há 15 dias sentindo todo tipos de dor, só esperando a hr, depois dizem k não
É doença , depende da formal k se ver , por que nem uma gravidez é iqual. É mas k revoltante o parto é seu e não podem escolher maneira vc quer sofrer tem k ser , como eles querem debaixo de contragimentos , ou piadas .como ser eles não estivessem ganhando praça isso.só k resta fazer é entrega
Nas maos Deus pra k seja rápido.por outro lado torço
Para k tudo de errado e a cesaria aconteça, só assim k o sus faz....

Anônimo disse...

Dra Fernanda, fiquei absolutamente estarrecida com a quantidade de informações obsoletas que a senhora dissemina em seu blog. Olha, uma coisa é defender o parto em hospital com médicos, entendo de onde isso venha. Mas disseminar a episiotomia, que já é considerada hoje uma mutilação genital, como sendo uma forma de prevenir lesão do períneo, minha nossa. Já existem mais de 30 anos de evidências sobre os danos causados por essa prática. Já existem evidências contra quase tudo o que a senhora dissemina como "boa assistência". O que mais me angustia é que provavelmente todos os outros médicos formados na sua escola e na sua residências devem estar falando as mesmas coisas. Olha, sem me alongar, leia pelo menos o manual da febrasgo, vai.. ou o do ministério da saúde. Nem precisa estudar muito.

Violência Obstétrica SC disse...

Lendo esse post, pensei: onde está a desatualização? Afinal, temos o direito a informação e infelizmente não foi o que ocorreu nesse post. Esse post nega as recomendações da OMS - 1996 e a biblioteca cochrane. O parto em casa, antigamente era mais perigoso por conta da falta de assistência. A cesariana é muito perigosa tanto para mãe quanto para o bebê. Esse post oferece tanta desinformação que nem sei por onde começar. Que tal melhorar a informação e verificar a medicina baseada em evidencias?

fernanda santos disse...

Nossa, faz tanto tempo que escrevi esta post que até parei pra ler novamente antes de responder aos dois comentarios acima, e aproveito para sugerir que releiam, também. Eu não sou defensora de cesariana e contra parto normal. O que não concordo é em dizer que parto normal é sempre o melhor. não é. A cesariana não pode ser vista como essa vilã. Ela pode salvar vidas. Parto normal é o ideal em alguns casos. Cesariana é o ideal em outros. Como também disse que em ALGUNS casos há necessidade de fazer epsio, e não que tenha que ser feito de rotina. Tudo tem sua indicação. E é exatamente porque a mulher tem que ter o direito de escolha, ela tem que ser esclarecida sobre os riscos de AMBOS, porque NÃO existe o melhor SEMPRE e, sim, o melhor para aquela mulher, naquele momento. Critico os colegas médicos que induzem as pacientes a fazer cesariana. Me orgulho de não me incluir nesse grupo nestes 12 anos de formada, de ter feito minha residência numa maternidade padrão, uma das pioneiras no parto "humanizado", um hospital amigo da criança e da amamentação. E só como um exemplo, recentemente tive uma paciente que queria fazer cesariana. Aceitei porque é um direito dela escolher essa via de parto e eu sei que isso não a expõe a riscos como andam divulgando por aí. O pré-Natal foi perfeito. A data estava marcada. Porém a bolsa rompeu e após ser examinada, vi que ela tinha condições de tentar um parto normal. Conversei com ela e ela aceitou. Nasceu um bebe lindo, saudável, de parto normal, sem episiotomia, num ambiente hospitalar, sem medicações para acelerar o parto e com analgesia. O pai do bebe presente na sala, todos muito felizes. Um clima delicioso. Pra mim, isso é parto humanizado. Ela foi assistida durante o trabalho de parto. Foi examinada para verificar a progressão do parto. Tudo transcorreu normalmente. Não concordo que a cesariana é sempre um risco. O parto normal não é sempre o melhor e não concordo em ter parto em casa. E esta é só a minha opinião. Não concordo mesmo. não se pode afirmar nunca que o parto será livre de riscos. Estar fora do ambiente hospitalar e sem o pediatra presente é que é um risco. Mas...cada um tenha onde quiser. Eu apenas não aconselho e não assistiria um parto em casa. Esse trabalho fica para quem o aceitar. As pessoas são responsáveis pelos seus atos. Eu não posso obrigar ninguém a ter bebe na maternidade, mas posso não participar do evento na residência.

Em resumo, relevando os comentários hostis, acredito ter se tratado de uma interpretação de texto equivocada, pois os únicos momentos em que não concordamos, foi quando digo que sou contra parto em casa e quando digo que parto normal não é o melhor sempre.
Um abraço!

fernanda santos disse...

puxa, lamentavel o ocorrido com você. No SUS o parto normal é sempre defendido por todos os motivos que ja conhecemos. E só quando algo não sai como o esperado realiza-se a cesariana. Independente disso não há razão para se tratar mal quem quer que seja. E ainda bem que isso não é uma realidade em todos os lugares. Sempre que defendem que a mulher tem que ter direito de escolher o parto acham que ela vai escolher o parto normal e isso não é verdade. muitas querem ter o bebe pela cesariana. O que ocorre no SUS, diferente da rede privada é que não há leitos disponiveis, nem salas de cirurgias nem profissionais suficientes para realizar cesarianas eletivas em todas as mulheres que tem esse desejo. Infelizmente , no Brasil tem ocorrido o seguinte: no SUS a mulher não tem o direito de escolher ter cesariana e na rede privada ela não tem o direito de escolher parto normal.

fernanda santos disse...

Desculpe a demora em responder seu cometario. Mas aproveito para lhe fazer uma pergunta. Você pode me apontar o parágrafo que eu tenha escrito que defendo piamente a episiotomia? Porque até reli o texto novamente e o que disse é que ela não é uma pratica de rotina, mas deve ser feita em alguns casos, quando indicada. inclusive eu quase não faço nos partos que assisto.
um abraço!

fernanda santos disse...

mas é exatamente o contrario. As pessoas é que estão dizendo que parto humanizado, parto natural é o que nasce em casa. Pra mim, parto humanizado é aquele em ambiente hospitalar, com segurança. mas que pode ter analgesia, presença de equipe medica, sem episiotomia desnecessaria, sem intervenções desnecessarias.

fernanda santos disse...

Obvio que não. De repente é até melhor você ter parado mesmo, senão seria mais uma que leu o que queria ler e não o que está escrito. Pessoas é que dizem que como gravidez não é doença não tem que ser tratada em ambiente hospitalar. isso eu não concordo mesmo.

fernanda santos disse...

esta escrito em algum lugar do post que acho que tem que se realizar a episiotomia de rotina? não, né? fui até ler novamente. mas esta escrito que algumas vezes ela tem indicação. São poucas vezes, mas elas existem. Inclusive, raramente faço.

fernanda santos disse...

desculpa, camis, mas conheço parto humanizado e desconheço parto domiciliar. isso tudo é porque sou contra parto domiciliar? porque sou super a favor do parto normal. mas que ele não está isento de riscos, não está. Ele é ótimo para uns e não para outros. não defendo episiotomia de rotina, mas não concordo com os que dizem que é uma violência realizá-la quando há necessidade. Sou muito bem informada e me orgulho de todo o meu trabalho, reconhecido. E dou assistencias a muitos partos há bastante tempo, e me orgulho de ter tido um defecho satisfatorio em 100% deles. Não sou a favor do parto em casa e essa é apenas a minha opinião.