quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Quero Evitar Gravidez Sem Tomar Hormônios


    Eu já publiquei um post sobre DIU aqui no blog, mas desta vez resolvi dar uma atenção especial a eles, já que cada vez mais mulheres me procuram no consultório interessadas em métodos contraceptivos sem a utilização de hormônios. A razão para esta procura ser cada vez maior são os efeitos colaterais dos métodos hormonais e suas contra-indicações. O medo de ter trombose, de ganhar peso, de não obter resultados no treino para ganho de massa muscular, dores de cabeça, são apenas alguns dos motivos relatados. 

    Há basicamente dois tipos de DIU (Dispositivo Intra Uterino): os hormonais e os não-hormonais. Hoje vamos conversar sobre o DIU não-hormonal, aproveitando essa atmosfera em que estamos vivendo, em busca do "mais natural". 

          Antes, preciso esclarecer dois mitos! Não, o DIU não é abortivo e, sim, ele pode ser utilizado por mulheres que nunca tiveram filhos. Ele não é abortivo porque seu mecanismo de ação se baseia na liberação contínua de cobre dentro da cavidade uterina. O cobre torna este ambiente hostil ao espermatozoide, ou seja, impede que o espermatozoide atravesse a cavidade uterina para chegar até dentro da trompa onde está o óvulo. Deste modo, não há fecundação, muito menos implantação do ovo na cavidade uterina, assim, se não há gravidez, não há abortamento.
E quanto à mulher nulípara (que nunca teve filhos) poder usar DIU, é uma contra-indicação relativa. Cada caso é um caso. Nas nulíparas pode ser mais fácil acontecer rejeição do DIU, mas a paciente deve ser informada quanto aos prós e contras e devemos escolher o tamanho de DIU que melhor se adapte ao útero de cada mulher. Já tive alguns casos de pacientes que tiveram trombose e que nunca haviam engravidado e desejavam contracepção duradoura. Nestes casos optamos pelo DIU de cobre e deu tudo certo.  :) 

Quem pode usar DIU não-hormonal? 
          
    A mulher que já iniciou vida sexual, não tem risco aumentado para DSTs (doenças sexualmente transmissíveis), não está grávida e não precisa de tratamento hormonal para corrigir distúrbios de menstruação ou cólicas. Além disso, o DIU como um corpo estranho, não pode ser colocado dentro do útero com infeção. Também é importante avaliarmos o interior do útero da paciente que deseja usar o DIU, pois ele não pode ser colocado na paciente com diagnóstico de pólipos uterinos, malformações uterinas, miomas que provoquem desvio da cavidade ou que estejam dentro dela, bem como qualquer condição que possa atrapalhar o correto posicionamento do DIU. Em casos de pólipos, por exemplo, deve-se primeiro retirá-los cirurgicamente para, então, inserir o DIU. Seu médico pode solicitar uma ultrassonografia para afastar estas situações.

Quais são os efeitos colaterais?
     
    Algumas mulheres se queixam de aumento do fluxo menstrual e/ou cólicas menstruais. Mas a escolha do tipo de DIU influencia na ocorrência destas queixas. "um DIU bem indicado reduz muito a chance de ter efeitos colaterais" 

Quais são os tipos de DIU não-hormonal?

    Para entender melhor, temos DIU de cobre e DIU de cobre com prata. Este ultimo contém prata para diminuir a oxidação do cobre e, assim, reduzir efeitos colaterais como cólicas menstruais e aumento do fluxo menstrual. Também podemos separar os DIUs de cobre de acordo com a quantidade de cobre no dispositivo, assim temos DIUs com 380, 375, 300, 250 mm². Isso implica na duração dele dentro do útero. Os de 380 mm² duram até 10 anos, os de 375 e 300: 5 anos, os de 250: 3 anos. Parece que quanto menos cobre, menos chance de ter efeitos colaterais como sangramento e cólica. Outra diferença importante entre os DIUs é quanto a forma do dispositivo e isso implica no seu tamanho. Assim, temos DIU para úteros com histerometria (medida da distância do colo ao fundo uterino) entre 5-8 cm (forma de Y e de âncora),  e para 6-9cm (forma de T). 

    Tá confuso? então vou colocar abaixo um resumo de outra maneira: 

  ANDALAN SILVER FLEX Cu 380 Ag


Preço médio: 275,00
Durabilidade: 5 anos
Histerometria: de 6-9cm

Combina prata e cobre, permitindo diminuir a fragmentação do cobre, de forma que seu uso se torna ainda mais eficaz, procurando não aumentar o fluxo menstrual e reduzindo a chance de aumento de cólica, comumente provocado pelos DIUs de cobre.
 

  ANDALAN COMFORT Cu375
  OMEGA 375    
  OPTIMA MULTILOAD Cu375

Preço médio: 140,00 a 170,00
Durabilidade: 5 anos
Histerometria: 6-9 cm

Taxa de deslocamento da posição menor que os DIUs em formato de T
Menos efeitos colaterais


 ANDALAN COMFORT MINI Cu 375

 OMEGA 375 MINI  

 MULTILOAD mini


Preço médio: 180,00 a 250,00
Durabilidade: 5 anos
Histerometria: 5-8cm 

É a versão mini do DIU de cobre com 375mm², para úteros menores, 
como das nulíparas. 
Sua haste vertical mede apenas 28 mm



 ANDALAN CLASSIC Cu 380 

 T Cu 380 A 

 T DE COBRE 380 A CEPEÓ PREGNA

 OPTIMA TCU 380 A


Preço médio: 98 a 109,00
Durabilidade: 10 anos
Histerometri: 6-9 cm

Dimensões: 36 mm na haste vertical e 32 mm na haste horizontal
O mais usado no mundo inteiro.






ANDALAN CONFORT Cu 250 

Preço médio:180,00
Durabilidade: 3 anos
Histerometria: 6-9 cm

Tem menor concentração de cobre que, em diversos casos, pode resultar em menor intensidade de cólicas e também um fluxo menstrual mais ameno 




SAFE Cu 300 


Preço médio:  produto indisponível
Durabilidade: 5 anos
Histerometria: uteros menores que 6 cm 

Tem o aplicador mais fino de todos, ideal para as nulíparas. 
Menos doloroso na sua colocação.
De fabricação holandesa, pode ser usado tanto por mulheres que já tiveram filhos como por nulíparas, adolescentes 

OBS: este produto parece estar indisponível no mercado brasileiro. Eu nunca tive a oportunidade de trabalhar com ele. Ao pesquisar sobre o assunto, não o encontrei nos revendedores mais conhecidos. 






Conhecendo estas diferenças, você também terá condições de escolher, junto ao seu médico, o DIU mais indicado pra seu caso.

Para não esquecer:

O DIU é um método contraceptivo bastante eficaz. A taxa de deslocamento do DIU é muito baixa e é mais comum nos primeiros 3 meses. 

O DIU não tem a mesma eficácia para evitar gestação tubárea. 

O DIU pode se colocado durante a menstruação para ter a certeza de que você não está grávida. É, também, o momento onde o canal do colo uterino está mais relaxado, facilitando a colocação. Mas não é obrigado estar menstruada.

O DIU pode ser colocado no consultório e, na grande maioria dos casos, sem a necessidade de anestesia. Em alguns casos será indicado, além da ultrassonografia transvaginal e investigação de infecções genitais e DST, a realização de uma endoscopia uterina, a video-histeroscopia, antes ou durante a inserção do DIU.

O DIU não protege contra doenças sexualmente transmissíveis. Para isso, não deixe de usar o preservativo. 


Existe um método chamado QUICKLOAD que facilita a inserção do DIU 380 Slim Line porque com ele não há contato manual com o dispositivo, como acontece com as demais técnicas de inserção. Além disso, as dimensões são menores propiciando menor desconforto para a paciente, na hora da colocação. 

São várias opções, é só escolher o seu!
Ficou dúvida? é só colocar nos comentários que eu respondo. 
Até o próximo post!

* preços consultados nas lojas on line: DKT, Tele Diu e Drogaria Venâncio


 * sem conflito de interesses

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Mais vacinas, por favor!

Boa noite!!!

Começando o ano trazendo uma notícia anunciada pelo governo em outubro do ano passado... Agora em janeiro os meninos também poderão se vacinar contra o HPV. Parabéns às autoridades que, FINALMENTE, entenderam a importância da vacinação para MENINOS. Avanço no combate aos tipos de câncer provocados por este vírus tão disseminado no mundo todo... 
ENTÃO, MENINOS E MENINAS, TODOS SE VACINANDO, OK?

Ministério da Saúde anuncia vacinação contra HPV para meninos

Desde 2014, vacina é oferecida para meninas de forma gradual.
Vacina protege principalmente contra câncer de colo do útero nas meninas.

vacina contra o HPV: baixa procura no Estado do Rio (Foto: Divulgação/Maurício Bazílio/SES)

A partir de janeiro 2017, meninos de 12 a 13 anos também poderão receber a vacina. A faixa etária será ampliada gradualmente até 2020, quando a vacina estará disponível para meninos de 9 a 13 anos. O esquema vacinal consistem em duas doses, com intervalo de seis meses.
Segundo o Ministério da Saúde, estudos feitos em outros países mostram que a inclusão dos meninos contribui para a diminuição do câncer de colo do útero e vulva das mulheres, já que isso possibilita a diminuição da circulação do vírus na população, o que beneficia o público feminino.
Além disso, os próprios meninos serão beneficiados, já que a vacina protege contra câncer de pênis, garganta, ânus e verrugas genitais, problemas também relacionados ao vírus.
A vacinação contra HPV para meninos também é usada nos Estados Unidos, Austrália, Áustria, Israel, Porto Rico e Panamá. A inclusão dos meninos na vacinação contra HPV segue a recomendação de sociedades médicas brasileiras como a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) e a Sociedade Brasileira de Pediatria.
Outra mudança é que, a partir de 2017, meninas que chegaram aos 14 anos sem a vacina também poderão se vacinar.
A vacinação também será estendida a homens que vivem com HIV entre 9 e 26 anos. Antes, só as mulheres com HIV desta faixa etária podiam se vacinar gratuitamente. No caso desse público, o esquema vacinal é de três doses.

domingo, 1 de fevereiro de 2015

Vacinação na Gestação, um bem necessário!

Boa noite, pessoal! Hoje eu vim compartilhar com vocês o que acabo de receber pelos correios: o GUIA PRÁTICO DE VACINAÇÃO DA MULHER 2014, da FEBRASGO (Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia).



Com a correria do dia-a-dia, entendo que nem sempre dá tempo do ginecologista conversar com sua paciente sobre vacinas. Além disso, geralmente as pessoas só se preocupam com vacina na infância, durante a gestação e em campanhas do governo. Pois existem várias vacinas recomendadas para as diversas fases da vida da mulher e a maioria delas desconhece.

Especialmente na gravidez as mulheres devem ser informadas quanto à importância de algumas vacinas. Como a gestação é uma fase especial na vida da mulher, onde o obstetra deve cuidar de duas vidas, vou dedicar este post a elas, gestantes do Brasil. Atenção às vacinas que devem ser tomadas na gravidez:

Vacina contra HEPATITE B. Se a mulher já não for imune (imune= já tomou as 3 doses antes e comprovou com teste sorológico) ela deve tomar 3 doses da vacina. Gratuitas, no posto de saúde, até 49 anos. Esquema: 3 doses, sendo intervalo de 1 mês entre a primeira e a segunda dose e de 6 meses entre a segunda e a terceira. Pelo menos 2 doses devem ser tomadas na gravidez, se não der tempo de tomar a terceira, esta pode ser tomada durante a amamentação.

Outra vacina importante é a da INFLUENZA, a famosa vacina contra gripe. Essa geralmente tem campanha no inverno, mas ela está disponível gratuitamente nos postos de saúde, durante o ano e devem ser tomadas em dose única. A gratuidade é para gestantes, puérperas até 45 dias (quem acabou de ganhar neném), mulheres com mais de 60 anos ou com doenças crônicas e imunocomprometidas.

Vacina TRÍPLICE BACTERIANA, contra difteria, tétano e pertussis, a dtpa: toda gestante acima de 20 semanas de gestação deve se vacinar. Preferir entre 27 e 36 semanas. Se a mulher já foi vacinada antes, deve fazer só uma dose desta vacina durante a gestação. Se não foi vacinada ou tem esquema incompleto, deve tomar a vacina tríplice bacteriana após 20 semanas de gestação e completar as outras 2 doses com a "dupla", com intervalo de 1 ou 2 meses entre elas e terminando o esquema em até 20 dias antes do parto.

A vacina MENINGOCÓCICA CONJUGADA, está indicada em situações de risco epidêmico e também está disponível no posto de saúde. A contra FEBRE AMARELA é para quem vive ou vai se deslocar para áreas de vacinação. Para quem vive nessas regiões deve fazer o reforço a cada 10 anos. Uma dose. Gratuita no posto de saúde. Segundo o Ministério da Saúde.
No Brasil, os locais de risco são as regiões de matas e rios das seguintes regiões: todos os Estados da Região Norte e Centro-Oeste, bem como parte da Região Nordeste (Estado do Maranhão, sudoeste do Piauí, oeste e extremo-sul da Bahia), Região Sudeste (Estado de Minas Gerais, oeste de São Paulo e norte do Espírito Santo) e Região Sul (oeste dos Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul).
As pessoas que moram nestas regiões, ou aqueles que irão viajar para estes locais devem tomar a vacina, caso ainda não tenham feito ou o fizeram há mais de dez anos.


Então, minhas gravidinhas lindas, não deixem de se vacinar! Em uma fase tão importante como essa, não se pode dar mole, né?

Um beijo e até o próximo post!

domingo, 23 de novembro de 2014

O homem e o toque retal

Boa tarde, pessoal!
Hoje parei tudo o que estava fazendo pra me dedicar a este post que aborda o tema "Câncer de próstata". Você deve estar se perguntando o que isto tem haver com saúde feminina, certo? Diretamente, nada. Mas nós sabemos que homem é uma raça difícil de ir a médico e se cuidar. Geralmente somos nós quem os incentivamos e pegamos no pé para que eles façam exame e tomem remédios, não é? Além disso, observo que os leitores do "Toque" não são apenas mulheres. Pra finalizar antes de começar, rsss, estamos em novembro, o mês azul! O chamado Novembro Azul. Tudo bem que o mês está quase acabando, mas acreditem que é difícil conseguir conciliar trabalho, família, todas as minhas obrigações, responder frequentemente cada pergunta do blog e preparar novas postagens. Me perdoem!

Como estava dizendo, novembro é o mês da conscientização do Câncer de próstata. Esse movimento teve início na Austrália em 2003, devido ao dia mundial do combate ao câncer de próstata, comemorado em 17 de novembro. A partir daí muitas entidades adotaram esse mês para fazer campanha para realização de exames de detecção precoce do câncer de próstata. Fazer campanha não é difícil. Difícil é quebrar o tabu e convencer os homens de realizar o toque retal! Pois bem, para o diagnóstico precoce são necessários dois exames: o toque retal e a dosagem do PSA no sangue.

A prevenção deste câncer se baseia em adotar medidas saudáveis como não fumar, ter uma alimentação balanceada, evitar a obesidade. Na verdade estas são medidas que ajudam a combater qualquer doença. 

Como suspeitar do câncer de próstata? O homem pode se queixar de dificuldade de urinar, presença de sangue na urina ou impotência. 

Frequentemente eu ouço das pessoas que elas tem medo de fazer um exame porque tem medo do resultado. Vejam, se a doença tiver que acontecer, ela não vai poupar quem tem medo de fazer o exame. Mas quem não tem medo, vai diagnosticá-la mais cedo com chance de ficar curado. É duro, mas é verdade. O Câncer de próstata, assim como muitos outros tipos de câncer, tem cura quando diagnosticado no início, então, temos que ter medo de não diagnosticar e não o contrário, ok?

Portanto, quem tiver um amigo ou familiar com mais de 40 anos e que ainda não procurou um urologista para realizar os exames, dê um puxão de orelha nele. Aqui, eu faço a minha parte!

Beijos em todos e até o próximo post!

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Vacina sem sustos!



Pessoal, vocês sabem que o governo está oferecendo a Vacina contra o HPV para as meninas entre 11 e 13 anos de idade, gratuitamente nas escolas e postos de saúde. Tenho duas coisas pra falar pra vocês.


  1. Todas as meninas e MENINOS  a partir de 9 anos de idade devem se vacinar. Até os 25 anos não é necessário a receita médica. Depois desta idade, sim. O governo escolheu uma faixa etária por motivos financeiros. custo x beneficio. As pessoas de outras idades podem se vacinar nas clinicas privadas ou consultorios médicos. Isso vem causando muita confusão. Tem gente de 20 anos perdendo a oportunidade de se vacinar porque acha que passou da idade".
  2. Sobre o que tem saído na mídia a respeito de efeitos adversos da vacina. às vezes eu penso que a imprensa não tem noção da responsabilidade que tem sobre as pessoas. Mais de 5 milhões de pessoas já se vacinaram só na campanha do governo brasileiro.O programa nacional de imunização emitiu nota de esclarecimento concluindo que a vacinação NÃO SERÁ INTERROMPIDA. O Ministério da Saúde afirma que a vacina é um dos produtos biológicos mais seguros para uso humano, mas como qualquer outro produto  farmacêutico, não estão isentas de apresentarem eventos adversos, ainda que raros. Em setembro deste ano, algumas meninas se apresentaram ao pronto socorro com sintomas de cefaléia, tontura, fraqueza, tremores, dificuldade de andar. TODAS estas meninas foram avaliadas, observadas e em poucos dias voltaram ao normal. Se não estou enganada isso aconteceu com 12 meninas. 12 meninas, entre as 5 milhões que já se vacinaram. Diante destes casos, isolados, não se verificou nenhuma associação causal entre a vacina e algum evento adverso grave. Eventualmente desmaios podem acontecer, o que não é raro ao se aplicar medicações injetáveis em adolescentes. 
Temos que comemorar a adesão à vacina de 90 % do público alvo, só no Brasil. Em todo o mundo já foram aplicadas mais de 180 milhões  de doses da vacina contra o HPV.

Portanto, não tenham medo da vacina! É um grande investimento na nossa saúde! 

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Campanha contra o câncer de mama - 2

Boa noite, pessoal!
       
            Todos sabem que estamos em outubro, que é o mês da campanha contra o câncer de mama, o OUTUBRO ROSA. Já fiz um post sobre o assunto e muitas instituições estão chamando a atenção para a importância do diagnóstico precoce.

            Estou de volta para ajudar um amigo a divulgar um evento que acontecerá neste domingo: a CAMINHADA ROSA. Acontecerá no posto 5 da praia da Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, às 9:00h. Lá, serão divulgadas informações e prevenção no controle de câncer de mama. Todos estão convidados! O evento foi criado pela sociedade de mastologia  do Rio de Janeiro e a associação médica da Barra da Tijuca.

            O Câncer de mama é uma realidade. Mas a cura, quando diagnosticado precocemente, também é!  Eu fico muito tensa quando ouço uma paciente dizer que não quer fazer o exame porque tem medo de descobrir alguma coisa. Mas não entendo esta postura porque não fazer o exame não isenta essa pessoa de ter o câncer! Pelo contrário, fará a mulher perder a oportunidade de descobrir cedo a ponto de se curar. O exame não causa câncer. O exame descobre cedo o câncer. E justo neste mês especial, rosa, eu atendi uma mulher no consultorio, com 68 anos, que não fazia uma consulta ginecológica há pelo menos 12 anos. Obviamente ela também não fazia nenhum exame de mamas por igual período. O pior é que em janeiro ela sentiu algo estranho em sua mama direita. Uma área endurecida, sem dor. e foi piorando. Só agora, em outubro, ela me procurou. Infelizmente o caso dela já está avançado. Trago aqui a foto da mama pra vocês verem. A mama está empedrada, com áreas de retração, descamação e pele com aspecto de casca de laranja.
   
             Pessoal, não deixem isso acontecer. Se você já está na idade de realizar a mamografia, ou se já está na hora da sua mãe, tia, irmã, amiga, realizarem o exame, cobrem delas!

              Não são apenas as mulheres que tem história na família que devem se preocupar. Todas as mulheres tem risco para câncer de mama, especialmente quem começou a menstruar muito cedo, parou de menstruar muito tarde, nunca engravidou, nunca amamentou, obesas, sedentárias, tabagistas, e o simples fato de ser mulher.

              Não se descuidem! Não esperem sentir algo diferente na mama para procurar o médico. O câncer precoce não dá sintomas e pode nem aparecer sob a forma de um nódulo. Nestes casos, só a mamografia consegue detectar. O incômodo provocado pelo exame não pode ser usado como desculpa para não realizá-lo.

Vamos ajudar nesta campanha! Divulguem! Vamos derrotar essa doença que atinge um número enorme de mulheres no mundo todo!

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Fisioterapia Ginecológica

Tudo bem que este post está chegando com um delay de quase 1 hora, afinal vim fazer uma homenagem ao dia do fisioterapeuta, comemorado em13/10. Parabéns a todos os profissionais da área!

Agora, vocês sabiam que existem fisioterapeutas especializados na área ginecológica?

Algumas situações em ginecologia podem ser tratadas por um fisioterapeuta especializado na área, sendo para resolver um problema e evitar uma cirurgia, como é o caso de alguns tipos de Incontinência Urinária, ou para amenizar um problema. A fisioterapia como tratamento isolado ou auxiliando um tratamento ginecológico pode ser capaz de melhorar a qualidade de vida da mulher. Isso porque ela atua de diversas maneiras em vários problemas ginecológicos, como exemplo, na atividade sexual!

assoalho pélvico
Na Incontinência urinária, os fisioterapeutas ginecológicos atuam através de eletroestimulação e reabilitação miccional, e ensinam às mulheres exercícios de fortalecimento da musculatura do assoalho pélvico, que também é importante no tratamento da disfunção sexual feminina.


cones vaginais
 Há diversas formas de tratamento para as diferentes afecções como o Biofeedback, utilização de cones vaginais, a eletroestimulação, a conscientização corporal, técnicas comportamentais e treinamento funcional do assoalho pélvico.

Estas técnicas podem não só resolver problemas de disfunção sexual como também melhorar o desempenho sexual. Também são usadas em gestantes no preparo para o parto vaginal.

Então, a fisioterapia ginecológica está indicada nas seguintes situações, entre outras:


  • Incontinência Urinária
  • Diminuição da lubrificação vaginal
  • Perda de libido
  • Falta de orgasmo
  • Vaginismo (dificuldade em relaxar a musculatura vaginal)
  • Dispareunia (dor na relação sexual)


Assim dá pra vocês perceberem que podemos tratar de diversos problemas em ginecologia sem a necessidade de cirurgia ou uso de medicamentos. Se você se encontra em uma destas situações, peça ao seu ginecologista uma indicação de um fisioterapeuta ginecológico, ok?