sábado, 30 de agosto de 2014

Saúde Bucal na Gravidez

Ei, você gestante que acha que não adianta ir ao dentista durante a gravidez para fazer tratamentos. Seu pensamento está errado!

A gestação é uma das fases mais importantes na vida de uma mulher. Todo o nosso organismo se altera nesta fase para dar suporte ao bebê que está sendo gerado. Vocês já devem ter ouvido falar que nossa imunidade (nossa defesa) está reduzida neste momento. Por isso é mais fácil termos infecções e não é diferente com nossos dentes, com a nossa boca.

O cuidado com os dentes e gengiva deve ser redobrado durante a gestação. Fica muito mais fácil desenvolvermos cáries, gengivites e periodontites.

A gengivite é uma inflamação da gengiva. Se não for tratada pode evoluir para a periodontite. A periodontite avançada pode comprometer irreversivelmente os dentes. Já pensou? Tem mais! A infecção periodontal aumenta o risco de nascimentos de bebês prematuros e de baixo peso! Assim, o bebê pode ter sequelas como problemas respiratórios, má formação neurológica e dificuldades de aprendizado.

Indo ao dentista durante a gravidez, ele pode identificar estas infecções, orientá-la e tratá-la, protegendo mãe e feto.

Uma boa forma de prevenir estas infecções é uma boa escovação dos dentes. Há algumas semanas conheci um produto, ou melhor, uma linha de produtos voltada para as gestantes cuidarem da saúde bucal. É o Gengi Lacer (pasta de dente e enxaguante bucal). Mais uma vez deixo claro que não tenho nenhuma relação com o laboratório que comercializa esses produtos. O "Toque" não tem fim comercial. Mas sempre que lançam algo legal, faço questão de mostrar à vocês.


Como não é preciso estar grávida para poder usar, eu resolvi experimentar a amostrinha grátis que ganhei do laboratório. Outro dia percebi um pouco de sangramento gengival na minha escovação. Conversei com minha dentista e ela me autorizou a usar o Gengi Lacer e não é que está dando certo? Estou usando há 3 semanas. A promessa do Gengi Lacer é diminuir a placa bacteriana, o risco de infecção gengival e manutenção da saúde da gengiva. A pasta de dente não tem gosto de nada. Isso é ótimo quando se trata de gestantes que estão enjoando muito no início da gestação. Gostei.

Então, faça às pazes com seu dentista. Ele vai ficar feliz com sua visita durante a gravidez. Fora dela, também, claro!

Beijos! até o próximo post!

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Esperando novidades, mofei.



Em 2012 cheguei de um "Meeting" toda animadinha e cheia de esperanças com promessas de lançamentos de novo adesivo contraceptivo, novo anel, novo DIU medicamentoso e um tratamento novo para Endometriose. Até postei isso aqui. Se animaram também? Pois até agora a única coisa que lançaram foi o tal tratamento novo para endometriose. Mas foi um baita lançamento! Então, aproveitando a onda de novidades, resolvi fazer um post sobre esse lançamento. Bom, na verdade, já nem é tão novidade assim, já que o lançamento da medicação deste post ocorreu há uns 2 anos. Porém, como eu fiquei exatamente 2 anos e meio sem escrever nada aqui no "Toque", pra nós, é novidade.

creditos: pipocadebites.com

Estou falando do Allurene, uma espécie de pílula só com progesterona que deve ser usada diariamente e sem pausa entre as cartelas e tem a intenção de tratar lesões de endometriose, diferente dos anticoncepcionais comuns que podem evitar que a doença avance por suspender as menstruações, mas sem a capacidade de tratamento. 

O Allurene é composto da protesterona "dienogest", a mesma que compõe o Qlaira, que nós já falamos aqui. Neste pouco tempo de uso aqui no Brasil ele vem apresentando boa resposta na redução das lesões de endometriose. As pacientes ficam sem cólicas e depois de algumas semanas ou poucos meses conseguem suspender as menstruações. Claro que cada caso é um caso. As mulheres que tentaram fazer este tratamento e não se adaptaram ou não tiveram o resultado esperado, devem passar para o plano B ou C ou D...

Ele é interessante naquele caso de paciente com endometriose que não pretende engravidar já. Também naquelas que precisam reduzir lesões antes da cirurgia ou quando desejamos evitar um procedimento cirúrgico, por exemplo. 

O legal dessa medicação é o acesso mais fácil a ela do que aos outros medicamentos para tratamento de endometriose, mesmo com o custo elevado. Essas medicações geralmente são um pouco carinhas. Outra vantagem é que pode ser usado sem uma data definida para sua interrupção. Os outros só podem ser usados por curto prazo devido aos efeitos adversos.

Interessante, não? Eu tenho gostado muito. Curti!

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Pílula Nova no mercado - 2


Recentemente uma leitora me pediu para escrever um post sobre pílulas e eu respondi que já existe um post sobre o assunto aqui no blog e ainda não havia nenhuma novidade... A-há! FINALMENTE depois de 3 anos surge uma novidade no mundo dos anticoncepcionais.

Um grande laboratório lançou este mês uma pílula nova, diferente, mas concorrente daquela do post  "Pílula nova no mercado" http://toqueginecologico.blogspot.com.br/2011/07/pilula-nova-no-mercado.html, escrito em 2011.
Vale lembrar que eu não tenho nenhum conflito de interesses, ou seja, não tenho nenhum tipo de ligação com este laboratório, minha intenção não é fazer propaganda e, sim, passar informação para vocês.

Qual é? qual é? O nome dela é Stezza. É uma pílula combinada, composta de estrogênio e progesterona, como a maioria delas. Seu estrogênio é o Valerato de Estradiol (assim como a Qlaira) e sua progesterona é a Nomegestrol. Essa combinação permite simplicidade ao tomar os comprimidos porque são todos iguais, ou seja, cada comprimido tem a mesma quantidade de hormônios. A cartela vem com 24 comprimidos de verdade e 4 sem hormônios que servem para manter uma regularidade na tomada das cartelas. Eu concordo que é mais fácil você tomar o remédio todos os dias do que parar alguns dias (neste caso, 4) e ter que se lembrar de começar nova cartela em dia certo, pois é aí que a maioria erra, esquece... É pra isso que servem todas as cartelas que contém comprimidos placebo (de mentira, sem remédio). Vocês podem reparar que as pílulas mais modernas contém cartelas com 28 comprimidos, nos incentivando a não fazer pausa entre as cartelas.


Nem vou falar de eficácia contra gravidez. Neste ponto todas as pílulas são altamente eficazes. Esta nova pílula mostrou vantagens por não apresentar aumento de peso (isso é muito importante!), não provocar acne, não alterar níveis de glicose (açúcar no sangue) e de colesterol, não prejudicar a densidade mineral óssea, não alterar a pressão arterial, ter efeito benéfico nas pacientes que tem um problema chamado "resistência insulínica", assim como no sobrepeso e obesidade, e não mostrou aumento do risco de eventos tromboembólicos. Isso não é tudo! Me pediram pra não contar pra vocês, mas o dedo coça, sabe? A duração deste hormônio no nosso organismo dura um pouquinho mais que as outras pílulas. E daí? e daí que esquecer um comprimido da cartela não nos expõe ao risco de gravidez!!! Mas vejam: o ideal é não esquecer nenhum! mas se.. por um acaso acontecer uma tragédia que a faça esquecer UM , apenas UM comprimidinho naquele mês, não entrem em pânico!

Um sucesso! Bom, isso é o que vamos ver. A pílula é estudada há mais de 7 anos. Já foi lançada na Europa no ano passado. Aqui no Brasil é um recém-nascido, portanto, agora é que vamos observar seus efeitos na prática. A proposta é bem interessante, até porque ela utiliza o Valerato de estradiol, um estrogênio que eu adoro. Ah! Não me perguntem o preço, porque ainda não pesquisei nas farmácias, mas um passarinho me contou que não é cara, comparada às que custam mais de R$ 30,00. Legal, né?

Nós já vivemos um Boom de lançamentos de pílulas anticoncepcionais no passado. Todas tinham o Etinil estradiol como seu estrogênio da composição e uma progesterona X. Só mudavam as doses, o tipo de progesterona e a maneira de tomar a cartela. Há 3 anos veio a Qlaira mudando o estrogênio (uma maravilha) e trazendo uma progesterona nova. Gosto muito desta composição. Tenho resultados ótimos com ela. Agora surge a Stezza, mantendo o Valerato de estradiol e trazendo uma nova progesterona. Acredito que os novos lançamentos sejam todos com o Valerato de estradiol. Vamos aguardar!







quinta-feira, 7 de agosto de 2014

A Hora Certa Para Engravidar

Quando uma paciente me pergunta com até que idade ela pode engravidar sem riscos eu respiro fundo. Êta perguntinha difícil essa, heim?

Difícil porque posso responder me baseando na teoria ou na prática. Mas acho que o ideal mesmo é misturar os dois e deixar a paciente decidir. Como assim?
A nossa bisavó começou a ter filhos aos 18 anos, em média e tinham vários filhos, não é verdade? Pois do ponto de vista biológico, 18-20 anos é uma idade ótima para se ter um bebê. Mas do ponto de vista social, não. Queremos (ou precisamos) estudar, nos formar, trabalhar, nos estabilizar e aí sim, planejar ter um bebê. O problema é que esse momento está acontecendo cada vez mais tarde. E aquela mesma bisavó já sabia que quanto mais idade, menos fertilidade.
A vida moderna está tão prática, temos computadores mega potentes, celulares que fazem tudo por nós (até ligações para outras pessoas, rss), TVs que gravam programas para assistirmos depois (adeus videocassete), temos aspirador de pó robô! você programa e o bicho vai limpar a sua casa enquanto você passeia! A gente pode programar tudo na vida moderna. E fica aquela sensação de que tudo se resolve, tudo é simples, tudo tem que dar certo, tudo tem que acontecer como nós programamos. Nos tornamos um pouco intolerantes  com as derrotas, um pouco impacientes com os atrasos... como se a vida fosse um filme ou uma novela, que evolui do jeito que o autor desejar. Masa vida é diferente.

 A teoria: engravidar com mais de 35 anos aumenta a chance de gerarmos bebês com cromossomopatias (síndromes), podemos ter dificuldade para engravidar e até nem conseguir engravidar.  Mas... a medicina está aí pra isso!  Ahá! Aí está o problema de interpretação das pessoas. Por que? Porque a medicina não vai fazer seus óvulos permanecerem jovens. Eles ganham idade como nós. Também não vai impedir que tenhamos bebês com síndromes, não vai garantir a sua fertilidade espontânea. Sabem qual o papel da medicina nestes casos? detectar as síndromes precocemente através de exames avançados no pré-natal, oferecer pesquisa genética pré-gestacional para avaliar chance de gerar um bebê sindrômico, fornecer medicamentos para melhorar a qualidade de vida da mulher que adquiriu alguma doença com o passar da idade, com o intuito de tentar fazer com que esse problema de saúde não atrapalhe a gestação e, por fim, oferecer técnicas de reprodução assistida. Quem garante que dali a 3-4 anos ou mais aquela mulher continuará saudável e fértil? Não é ser pessimista. Mas aqui estou lidando com fatos reais. Relógio biológico é real.

creditos: hyscience.com

Quando alguém me diz que quer engravidar somente com 38 anos, por exemplo, eu faço uma pergunta: Se aos 38 anos você estiver infértil, aceitará engravidar por métodos artificiais? ou se você não tiver mais óvulos saudáveis você aceitará engravidar por métodos artificiais que utilizam óvulo de outra mulher (uma doadora)? Se a resposta for "não" para qualquer uma destas perguntas, não espere tanto tempo para engravidar.

A prática: exatamente devido às exigências da vida moderna, as mulheres já chegam ao consultório com 39-42 anos querendo ter seu primeiro bebê. Nestes casos não adiantaria mais você discursar sobre os riscos de se esperar tanto. Já aconteceu. A vida passou. Ela estava ocupada este tempo todo. Ela não tinha condições financeiras, ela não tinha um relacionamento estável até então, e ela deseja ter um filho. Ok. Não a desanimo, jamais! Vamos fazer exames para verificar a saúde, a reserva ovariana e engravidar. Mas aquele prazo de 1 ano que damos para um casal jovem saudável tentar engravidar espontaneamente antes de desconfiarmos que algo possa estar errado, em idade avançada cai para 6 meses. Isso porque a taxa de fertilidade desaba progressivamente com o passar dos anos e até para engravidar por fertilização artificial, pode ser difícil, afinal, sabemos que fazer fertilização in vitro não garante gravidez. Quem não conhece casais que fizeram repetidas vezes?

Ainda bem que grande parte das mulheres que engravida mais tarde tem uma boa gestação. Vocês mesmas devem conhecer vários casos. Mas será que se lembram dos casos de insucesso pela idade? Será que a notícia daquelas que não conseguiram engravidar ou tiveram problemas na gestação devido à idade, chegou até vocês? Pois chega a mim como ginecologista que acompanha de perto estes casos.

Pra finalizar, vou lhes contar dois segredinhos. A grande maioria das minhas amigas só começou a ter filhos depois de 36 anos. Alguns destes bebês nasceram prematuramente porque entraram em trabalho de parto precocemente ou porque a bolsa d`água se rompeu, ou o bebe parou de crescer. Porém, todas tiveram um desfecho favorável.

O segundo segredo: eu tenho 37 anos e ainda nem tentei engravidar, mas isso vai dar um outro post.Vou explicar tudinho pra vocês, para que percebam como o assunto é complexo. O porque é difícil responder pra vocês qual a melhor idade para engravidar... Na teoria, abaixo dos 35 anos. Na prática: assim que der.

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Recomeçar denovo?!

Olaaaaaaaaaaaaaa!

    Pessoal, meu último post foi me desculpando pela demora em escrever algo novo. Eu estava muito enrolada com muitas coisas. Mas acontece que estive enrolada esse tempo e quando vi, já se passaram quase dois anos e meio sem eu postar nada! Nem tempo de responder os comentários, eu tive.
    Depois tive problema com o acesso ao blog, não conseguia fazer login. Também tive um problema de saúde ano passado e só terminei o tratamento esse ano.
    O fato é que eu preciso me organizar e ter disciplina. Espero manter o blog atualizado.
    Vocês me perdoam?

    Fiquei pensando num assunto para recomeçar... nada melhor que o nascimento de um bebê para um recomeço.

    Na sexta feira, dia 01/08 fiz o parto de uma amiga minha. Amizade de 24 anos! Sabem aqueles partos especiais? Acho que todos os partos são especiais, sim! Mas quando eu ajudo um "sobrinho" a vir ao mundo, é, no mínimo, arrepiante. Fiz o parto do meu sobrinho (filho do meu irmão), de primas e da maioria das minhas amigas. Me orgulho disso. Fico feliz por elas confiarem em mim e me permitirem estar com elas, pela amizade e pela profissão, nestes dias tão inesquecíveis. Quando vou a algumas reuniões, festas e vejo aquela criançada toda lá, lindas e saudáveis, é tão bom! Assim vieram o João Guilherme, o Miguel, o Pedro, Bernardo, Marcus Vinicius, Manuela, Vinícius, Rafael, Davi, Enzo, Caio, Anna Carolina, Alice, Maria Fernanda, outra Alice, Juliana, outro Rafael, Henrique, Beatriz, outro Pedro, etc., e agora, o Lorenzo.

O parto do Lorenzo foi todo planejado, mas nada saiu como planejado. A idéia inicial da mãe era fazer uma cesariana e desde a metade do pré-natal ela e o marido (um croata muito gente boa) já me cobravam uma data para o parto porque ele trabalha embarcado e precisava se organizar para estar aqui no dia do parto. Enquanto ele trabalha, ela mora com a mãe, mas como a cesariana seria marcada, ela desejava ter o bebe numa maternidade do outro lado da cidade, onde mora quando o marido está aqui. Cesariana marcada para dia 16/08, fotógrafo avisado. Há umas duas semanas o Lorenzo encaixou e eu disse à Anna (a mãe) que estava com saudade de fazer um parto normal. Ela riu. Os dias se passaram e dia 01/08, com 37semanas de gestação, a bolsa d`água rompeu. Eu disse: "- Anna, um bom dia para o Lorenzo nascer". Ela disse, ingenuamente, "- Não, F!" (ela me chama de F). "- hoje não pode, o Ferdi so vai chegar dia 06". O pai croata estava embarcado, não tinha vaga na maternidade escolhida, não daria tempo da equipe de fotografia chegar... fomos para outra maternidade e em 2 horas e meia de internação, nasce Lorenzo, de parto normal. Lindo, todo ele, felizão!

Aproveitando que estamos na semana de amamentação, postei a foto dele mamando no peito assim que nasceu, ainda na sala de parto. Não é lindo?



eu tento avisar que obstetrícia é uma caixinha de surpresa, que filho nos ensina a não termos tantas regras e rotinas, mas ninguém acredita... foi assim coma Michelle, com a keyla, com a Mirian, com a Andrea, com a Fernanda...


Pra terminar, sobre que assunto vocês gostariam de ler para o próximo post? coloquem nos comentarios, por favor, ok?
Um beijo em, todos!