segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Prevenção de Câncer de mama





Outubro é o mês da campanha pela prevenção do Câncer de Mama. Fui convidada para apresentar (amanhã, na Marinha-RJ) uma palestra sobre o assunto para promover informação às militares e mulheres de militares, e resolvi estender o assunto para vocês.

O Câncer de mama é o câncer mais comum entre as mulheres e o segundo tipo de câncer mais comum na população geral. Este câncer tem cura quando é diagnosticado precocemente e tratado adequadamente. Um fator que dificulta o diagnóstico é a variedade de formas apresentadas e ausência de sintomas em sua fase inicial, mas o maior problema é o medo que algumas mulheres tem de descobrir o câncer. Isso só faz piorar o quadro, pois o diagnóstico tardio reduz as chances de cura e provoca a morte de mais de 11 mil mulheres por ano, segundo a OMS.

Nós, profissionais de saúde, precisamos incentivar a auto-palpação das mamas e o governo deve facilitar o acesso aos serviços de saúde. Existem maneiras de prevenirmos o câncer (prevenção primária) e de detectarmos precocemente a tempo da cura (prevenção secundária).

Os fatores de risco para o câncer são:


  • primeira menstruação precoce (abaixo de 12 anos)
  • menopausa tardia
  • não engravidar, primeira gravidez após 30 anos, não amamentar
  • história familiar (parentes próximos, corresponde a 10% do risco)
  • história pessoal (quem já teve câncer de mama, aumenta o risco de ter na outra mama)
  • fumo, álcool, obesidade, sedentarismo
  • dieta rica em gordura
  • exposição prolongada a radiação 
  • Terapia hormonal por tempo prolongado
  • uso de contraceptivos (em discussão: não é observado na prática)
Os fatores protetores de câncer são: prática de exercícios físicos e amamentação. 

Sabem por que a amamentação pode proteger? Porque as glândulas mamárias são imaturas, mas quando elas produzem leite se tornam maduras. Células maduras são mais estáveis e, portanto, tem menos risco de crescerem desordenadamente causando o câncer.

Ao controlarmos os fatores de risco estamos tentando evitar o câncer. Ainda na prevenção primária discute-se muito sobre a pesquisa de dois genes no nosso corpo, o BRCA 1 e BRCA 2. A presença destes genes quer dizer que podemos desenvolver o câncer. A proposta seria fazer cirurgia de retirada de mamas profilática e quimioprevenção. Isso ainda é muito discutido. Vale à pena se submeter à mastectomia pensando em não ter o câncer se nem se sabe se quem tem o gene vai realmente desenvolver o câncer? é complicado. 

Quanto à prevenção secundária, falamos de detecção precoce: auto-palpação das mamas, consulta médica anual e mamografia, quando indicada. 


MAMOGRAFIA










Antes falávamos do auto-exame das mamas. Mas estudos demostram que essa prática não aumentou o número de diagnósticos precoces do câncer. Todavia, quando falamos de auto-palpação estamos incentivando a mulher examinar sua mama sem técnica, sem rotina. Assim: a mulher deve ir ao ginecologista anualmente para que este examine sua mama. No intervalo entre as consultas ela deve palpar suas mamas ocasionalmente, num lugar que esteja confortável, a qualquer momento, sem seguir regras. Caso desconfie de algum nódulo, deve antecipar a consulta seguinte. Estudos demonstraram que essa forma contribuiu mais para o diagnóstico precoce que o auto-exame. 

Mulherada, fiquem atentas caso percebam algum nódulo que não suma depois da menstruação, que seja indolor, mas não entrem em pânico! A maioria dos tumores de mama são benignos! Mesmo assim, procure o ginecologista para que ele tome as medidas necessárias. Se houver saída de sangue pelo mamilo, se houver retração na pele, ou pele em casca de laranja, se o mamilo se inverter de repente, se a pele ficar vermelha com o se estivesse inflamada... procure o seu médico nestes casos, ok?




Depois da palestra volto aqui pra contar a vocês como foi! 

Nenhum comentário: