quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Eu vou, mas eu volto!

Amigaaasss, vim aqui rapidinho para lhes dar uma satisfação.. ficarei ausente por alguns dias. Tá bom, eu não tenho vindo aqui com tanta assiduidade, mas o trabalho está me consumindo muito! pelo menos tenho respondido a maioria das perguntas e comentários.

Eu vou, mas eu volto! Na primeira semana de dezembro estarei aqui novamente com mais temas pra vocês, prometo!

Beijos e até logo!

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Compartilhando um momento difícil

Vida de obstetra não é fácil. Quando tudo está indo bem é uma maravilha, mas... nem sempre é assim. Hoje atendi um caso difícil e que deixou o plantão todo dividido, tanto que compartilhamos o problema com a família, que nos ajudou na nossa decisão, que ainda não sei se foi a certa ou não.

Uma gestante hipertensa, diabética, obesa e hipotireoidea, 26 semanas de gestação, 1 cesárea anterior. Quando nada poderia ser pior seu bebe não segue ritmo normal de crescimento e é acompanhado durante semanas, internada,  através de exames que avaliavam sua saúde intra-útero. Os exames iam ficando cada vez piores. Hoje foi a gota d`´agua. Um feto de 26 semanas pesando em torno de 400g que, pelos exames, ele não sobreviverá por mais de 1 semana dentro da barriga. Por outro lado, se nascer, suas chances de viver são muito, mas muito pequenas. E sequelas? poderão existir por toda a invasão de medicamentos, transfusão, tubos, etc. O que fazer? deixar o bebe lá dentro, já que a mãe estava com sua saúde controlada, mas sabendo do risco de óbito intra útero OU tirar esse bebe pensando que ele pode ter alguma chance de sobreviver?
metade dos plantonistas e pediatras defendiam o nascimento do bebe e a outra metade, deixar o bebe dentro da barriga. Querem saber a opinião dos pais? A mãe concordava em fazer o bebe nascer, já o pai tinha fé que um milagre acontecesse e de repente o bebe passaria a ganhar peso. Discórdia até entre eles...

Essa é a parte mais angustiante da obstetrícia, decidir o momento do nascimento de um bebe quando as coisas não estão indo bem (porque quando chega ao final e a gestante entra em trabalho de parto é mole, quem decidiu nascer foi a natureza). Caso difícil, minhas amigas. Resolvi contar para vocês porque meu dia não foi nada fácil.

Essas semanas tem sido muito corridas! Deu pra perceber que o último post tem 2 semanas, não é?
mas tenho feito o possível para responder às dúvidas e comentários deixados... beijos, não demoro!